Questões Educacionais
   
 



BRASIL, Sudeste, SAO PAULO, Mulher, de 20 a 25 anos, Portuguese, Arte e cultura
 

  Histórico
 12/06/2005 a 18/06/2005
 15/05/2005 a 21/05/2005
 01/05/2005 a 07/05/2005
 17/04/2005 a 23/04/2005
 10/04/2005 a 16/04/2005
 20/03/2005 a 26/03/2005
 13/03/2005 a 19/03/2005
 06/03/2005 a 12/03/2005

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




 

 
 

ESSES ADOLESCENTES NÃO SÃO FÁCEIS!!!

Quando lidamos com adolescentes, antes de mais nada, é importante ganharmos sua simpatia, respeito e amizade, porque esta fase é aquela em que o adolescente passa por muitas transformações e quando o seu caráter comela a ser formado. Portanto, é preciso smepre estar atento a todos os seus movimentos, de modo que possamos ajudá-los com todos os seus conflitos e encaminhá-lo para a vida, sempre direcionando-os para o bem, dando o melhor de nós, para que o fututo, não seja triste e vazio e que nunca possam dizer que a escola não fez nada e não serviu como exmplo a ser seguido. Por isso, nós educadores, precisamos manter a paciência e a calma sempre tentando manter o bom humos. Só assim, talvez, conseguiremos fazer alguma coisa por eles.



Escrito por Deise Dipardo às 11h33
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Continuanado o assunto da semana passada, é preciso que cada um respeite os horários dos outros funcionários; não sobrecarregar o próximo, tentar dar conta daquilo que lhe foi passado, que foi entregue, é claro, dando condições de trabalho para que isso aconteça e que tudo possa prosseguir completamente, mas lembrando-se sempre de que o indivíduo é um ser humano, respeitando os seus limites e não fazendo dele uma máquina de trabalhar, favorecendo somente a escola e esquecendo que sem as pessoas a escola não funcionará...

Escrito por Deise Dipardo às 11h27
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Interação entre Funcionários no Ambiente Escolar

É de suma importância que haja uma interaçãop entre todos aqueles que trabalham na escola: professores, coordenadores,pessoal da limpez, secretaria, etc... Porque dentro da escola há muitas coisas a serem feitas, muito trabalho é realizado em prol das ciranças e eadolescente que nos rodeiam. Então, é preciso que todos estejam em sintonia, cada um realizando o seu trabalho. Mesmo assim, colaborando com o outro, dentro do possível, afim de não atrapalhar o andamento da dinâmica escolar ao qual se está inserido.

Até o próximo Blog. 



Escrito por Deise Dipardo às 11h22
[] [envie esta mensagem
]


 

 

TEXTO DE GEORGE A. MILLER

Registrarei aqui, minhas impressões após ler o texto de Miller.

Hoje em dia, os computadores fazem parte das nossas vidas e isso é invitável. É condição até mesmo para você ser bem sucedido perante as grandes disputas que existem no mercado de trabalho. Ou seja, na verdade quase tudo o que você vai fazer e precisa é adquirido através do computador/internet.

É importante que as crianças menores tenham um conhecimento de como manusear? Até que ponto?

Bem, a resposta é positiva... O mundo dos computadores é fascinate e descobrimos com ele,muitas coisas fascinantes e digo isso como adulta. Imagine a criança iniciando suas atividades com jogos educativos e descobrindo pouco a pouco outros tipos de jogos...

Mas, temos que refletir sobre esse assunto, pois pode ocorrer de perdemos outras coisas da vida ao nos focarmos no computador. A criança pode deixar de brincar brincadeiras saudáveis de rua; pode deixar de praticar esportes, entre outros, para ficar a frente do computador.

Finalizando, jamais um computador poderá superar um ser humano e suas relações. Ele poderá até ser programado para pensar igual, mas jamis será um ser humano. O computador ganha espaço mas se não for o ser humano ele jamais existiria, portanto devemos ter sempre em mente que os computadores jamais poderão tomar o nosso lugar.



Escrito por Deise Dipardo às 00h35
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Relembrando o que foi dito na última postagem, a agressividade não ocorre somente em escolas particulares, mas também e, principalmente, em escolas públicas, de forma que, professores, diretores, coordenadores e todo pessoal da equipe escolar correm risco de vida. Fazendo esse paralelo (escola pública x escola particular) é interessante observar que os alunos das escolas particulares, geralmente, aprontam porque sabem que os pais vão encobrir tudo. Nas escolas públicas, os alunos por acharem que não têm nenhuma perspectiva de vida, ficam revoltados, se sentem inferiores devido às necessidades que passam; por não terem um tênis novo, uma blusa ou jaqueta da moda, parte para um lado obscuro, afim de obterem tais coisas. Vendem drogas dentro das escolas; usma drogas para fugirem da realidade em que vivem, pelo menos por alguns instantes; roubam, enfim, seguem por caminhos, geralmente, sem volta.

Os pais fazem de tudo para conseguirem matricular seus filhos, pensando que esses terão uma oportunidade no futuro e, alguns, não percebem o rumo que seus filhos estão tomando e agem os próprios pais agem com uma agressividade  não somente verbal, mas também, física.

Como deveríamos agir? Ficar indiferentes com esses problemas, como diz o ditado "cada um com seus problemas?"

Por isso é importante refletir e discutir nos nossos ambientes de trabalho sobre este assunto afim de procurar meios e formas corretas para conseguir amenizar as rebeldias e agressividades que giram tão forte ao nosso redor. É preciso que os pais toem consicência de tudo o que acontece, pois afinal de contas, a educação começa em casa e não na escola. Por isso é preciso que todos os pasi saibam como e o que o filho faz na escola.

Para desopilar, vejam meus mini-contos!

Está atrasado? Vai de ônibus? Não, aproveite e vá de fura-fila!

Quem morre no fogo morre afogado. Epa! Chame o bombeiro!



Escrito por Deise Dipardo às 00h20
[] [envie esta mensagem
]


 

 

AGRESSIVIDADE

Ai, ai... Que tema delicado. Falar desses tema nos dias atuais é super complicado, poruqe vemos, principalmente, nas escolas as diferenças que existem, como exemplo, as escolas particulares onde podemos perceber que muitos alunos tratam professores, auxiliares de limpeza, entre outros, com falta de respeito; agem como se a pessoa não existisse... é uma falta de educação com o próximo que é impressionante! É claro que não posso generalizar, pois existem alunos doces, amorosos, educados, compreensivos - digamos, especiais - que nomomento da irritação, com todo o carinho nos dão um abraço, uma palavra meiga que acaba nos aclamando. Isso não quer dizer que eles também não sejam levados, sapecas, mas o são de uma forma saudável...

Todos sabemos que a educação começa em csa e a escola é somente um complemento para a vida desses alunos. Mas se refletirmos sobre essas crianças tão agressivas, precisamos pensar em seu histórico de vida, onde essa criança possa ter ficado traumatizada com alguma(s) coisa(s) que de certa forma, reflete em sua vida e, por isso, têm tais atitudes. Devemos levar em consideração as agressividades quando a criança é bem pequena, pois isso faz parte da própria idade da criança. Às vezes, também é aquilo que já havia falado: alguma coisa que acontece em casa, algo que ela viu, expressão que notou e isso acaba transparecendo quando estão dentro da escola, de tal forma, que leva o professor a investigar o histórico dessa criança para poder ajudá-lo.

Compreendo que só o professor tentar interferir nesse momento, não ajuda. É preciso, às vezes, encaminhá-los à psicoólogos, terapeutas, de modo que esses poderão contribuie melhor para o seu psicológico.

Será que algum dia conseguiremos aprender/entender o que acontece com esses indivíduos?

Na revista Veja, saiu uma matéria sobre o emdo dos professores em sala de aula. Muitos vem sofrendo com as faixas etárias de Ens. Fund. I ao Médio. Gostaria de entender porque tanta violência. Parece que o mundo está de ponta cabeça... O que podemos fazer para amenizar tantos problemas e ao mesmo tempo não nos sentirmos ameaçados?

No próximo epsódio continuarei falando um pouco mais sobre o assunto....

Um beijo



Escrito por Deise Dipardo às 00h07
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Hoje, estarei mostrando algumas dicas de atividades para as turmas de EJA (Educação de Jovens e Adultos).

Um ambiente agradável e amistoso também é essencial para lunos de EJA, princiaplemnte aqueles que voltam a estudar depois de um longo tempo.

"Para recebê-los, decore a classe com cartazes de boas-vindas; coloque música ambiente e leia um lindo poema", recomenda Adriana da Silva, coordenadora das salas de EJA da Ação Educativa de São Paulo. Sua postura, ela afirma, precisa transmitir acolhimento. Por isso, mostre-se à disposição de quem está chegando. A seguir veja algumas atividades:

- No primeiro dia de aula, promova um bate-papo gostoso entre os estudantes. Todos se apresentam e contam um pouco de sua história.

- Estimule os jovens a conhecer todas as dependências da escola, nome e a função dos funcionários e a utilidade das salas.

- Combine com seus colegas para que cada um traga sua foto quando crianças. Mostre-as aos alunos e peça que eles adivinhem  quem é quem. Isso faz com que memorizem os nome de todos os professores e proporciona uma conversa descontraída sobre os futuros mestres.

- Essa é outra atividade que precisa ser combinada com os colegas. Divida seus alunos em um número de grupos correspondente à quantidade de turmas. Os professores responsáveis pelas outras classes fazem o emso. Os grupos são distribuídos pelas salas de modo que em todas elas, haja representantes das demais. Feita a distribuição, cada professor conta uma história, fábula, conto, lembrança da infância, etc. Quando todos voltam para suas respectivas salas os grupos narram a história quee ouviram. Dizem o nome do professor que a contou e qual a impressão que tiveram dele.

Até a próxima!

Fonte: Revista Nova Escola - Jan/ Fev/ 2005 pag. 35



Escrito por Deise Dipardo às 22h03
[] [envie esta mensagem
]


 

 

O que fazer para o aluno se achar na escola?

Uma vez em um dos estágio que fui realizar, percebi que na escola não tinha nenhuma placa sinalizando como se chegar por exemplo à secretaria. Fiquei totalmente perdida. Dentro de uma escola precisa haver essa percepção de sinalização de acordo com o tamanho,ou não,da escola para que os alunos não fiquem perdidos, perguntando onde fica a secretaria? Como faço para chegaar até a sala dos professores? Onde devo entregar esse material que estava perdido no meio do pátio? Principalmente quando o aluno é novo e não conhece a escola...

Há várias coisas que poderiam ser usadas para orientar os alunos logo no primeiro dia de aula como, levá-los para conhecer toda a escola (levando em consideração, principalmente os alunos menores).

E como estava falando de sinalização, poderia propor aos professores, junto com sua sala de aula, a criação de uma das muitas sinalizações que espalharíamos na escola, e é claro, para um aluno do Ensino Fubdamental I, a primeira coisa que poderia ser feita é dizer na placa: Siga a placa indicando o lugar determinado ao qual você quer ir. Então, todas as salas fariam uma relação de todos os locais aos quais eles por ventura, tivessem que ir sozinhos, partindo da sua sala de aula. Veja um exmplo:

- Para ir à biblioteca, saia pelo lado direito da sala e siga às palcas dizendo biblioteca.

Isso é lógico, supondo que o aluno tenha já noção de direita e esquerda. Caso isso não aconteça com alguns alunos, esas atividade já é um movimento importante para que o professor observea dificuldade do aluno e interfira de modo que ele perceba o espaço que existe ao seu redor, e com todas as sinalizações dentro da escola, que ele possa trazer segurança ao seu aluno de ir e vir sem se perder e usando essas noções de sinalização ter as primeiraas orientações com base em referências.

Espero que todos gostem dessa idéia, apesar de muitas escolas já terem adotado esse meio para facilitar a vida dos alunos, sei que em outras não existem, como havia mencionado no início do texto.

Agora cabe a vocês, professores, usarem a criatividade para fazerem essas placas, mas lembre-se que é preciso sempre antes uma reunião com os outros professores para determinarem quem vai fazer o quê, para que esse trabalho seja bem direcionado.

PIERRE LEVY:

Segundo o texto e o meu modo de ver a informática é cada dia mais importante,pois podemos nos comunicar com outras pessoas, usá-las como instrumento de trabalho, ou seja, no nosso dia-a-dia. De modo que com o passar dos anos a modernidade vai chegando, ampliando cada vez mais, novas dimensões qie atinjam várias áreas da educação.

Até mais,



Escrito por Deise Dipardo às 18h30
[] [envie esta mensagem
]


 

 

AS MUDANÇAS DO SABER

Segundo Pierre Levy há três grandes mudanças - as quais estarei comentando agora - que se relacionam com o homem e com a tecnologia e o que ela pode trazer de diferente; informações que levam o homem ao desconhecido.

1a. Mudança: Velocidade

Ela vem se transformando através dos anos, antigamente, se aprendia uma profissão de pai para filho. Ela era transmitida. Hoje não é mais assim. Surgem muitas áreas (campos de trabalho que vem se expandindo) de modo que promova uma transformação da alta tecnologia.

A idéia de que todos tenham na sua instituição escolar acesso a esses conhecimentos que a tendência é cada vez mais aumenta permanecendo sempre.

2a. Mudança: Trabalho

Nos dias atuais, quando se pensa em trabalho, é claro que pensamos em abranger várias áreas, para que haja num trabalho, mas é preciso que alguém ensine para assim, nos levar a aprendizagem. Tudo isso depende da comunicação, do transmitir aquilo que já se conhece e ainda tentar colaborar e cooperar buscando saber aquilo que o outro já sabe, buscando ampliar os seus conhecimentos e isso em relação à escola é realmente preciso pesquisar se acontece, onde o professor se preocupe em ensinar esses "tópicos" , colaborar e cooperar para poder avançar e que com o trabalho os alunos possam se desenvolver e crescer.

3a. Mudança: Tecnologia

A tecnologia não é tudo mas ela já faz parte, praticamente, do nosso cotidiano, aquile modo tradicional de ensinar a escrever e a ler jamais deixará de ser importante., todavia, a informática no âmbito escolar é importante pois ela auxilia o aluno através da pesquisa sobre temas que vão trabalhar; leva a descobrir coisas diferentes - aliás, a informática é um universo muito grande, cheio de novidades, informações, características essas importantes para o desenvolvimento da pessoa.

Até mais,



Escrito por Deise Dipardo às 12h52
[] [envie esta mensagem
]


 

 

HUMOR DENTRO DA SALA DE AULA FAZ A DIFERENÇA

Na escola onde eu trabalho, fiquei sabendo que existe uma professora que é muito divertida. Ela incena; conta piadas e, por isso, os alunos a adoram muito e vão muito bem na sua matéria (História).

Esse tipo de comportamento na sala de aula desperta emoções, curiosidades, agilidade e vontade de querer fazer a lição. Enfim, cumprias as tarefas.

Com esse método ela os ajuda no seu desenvolvimento mental e automaticamente o cérebro consegue armazenar mais informações.

Vou citar alguns exemplos:

- contar uma piada que tenha relação com os alunos;  

- preparar charadas, palavras cruzadas, etc.;

- fazer teatros quando o tema permite (usando criatividade, colocando vestimentas);

- dando voz aos objetos inanimados (sabe o que uma célula falou para a outra?)

- mudando a disposição das carteiras na sala de aula dependo da atividade a ser realizada;

Pessoal, espero que essa idéia possa ajudá-los a fazer uma aula diferente.

Fonte: revista nova escola Jan/Fev de 2005



Escrito por Deise Dipardo às 12h31
[] [envie esta mensagem
]


 

 

MENSAGEM REFERENTE AO DIA 09 DE ABRIL

No blog anterior eu falei sobre crianças que trabalham e estudam - realidade que infelizmente é realidade em nosso país.

Ao pensar nessa realidade tão terrível de que as crianças mais carentes sofrem tanto com a pobreza, saneamento básico, em geral os recursos básicos que todo o ser humano precisa para viver como moradia, boa alimentação, saúde, educação, amor, carinho e, principalmente, uma infância como qualquer outra criança, brincar, se divertir, enfim, fazer tudo o que as crianças que estão em condições melhores fazem, pensei nas salas de aula voltadas para escolas públicas onde o professor pudesse trabalhar com a realidade em que seu aluno está inserido. É claro que nem todos que estudam nessas escolas vivem em condições tão precárias, por isso sugiro uma atividade para que haja um maior interação entre os alunos onde todos poderão se conhecer melhor.

1o. Movimento: formar duplas onde um deveria descrever ao outro o lugar onde vivem;

2o. Movimento: Fazer uma roda de conversa para todos relatarem um pocuo do que preceberam.

3o. Movimento: Após a roda, passar per vário lugares do bairro da escola para que eles vivenciem nas prática e observem que nem todos oslugares e as pessoas são iguais mas todas devem ser respeitadas.

4o. Movimento: Após voltarmos da visita, na próxima aula, trazer materiais como lápis de cor, tinta e pincel, canetinha para que os alunos desenhem o que viram - se preferirem podem escrever sobre - e a partir daí fazer uma comparação relacionado ao que foi falado em sala de aula com a prática da vivência.

5o. Momento: Cada um mostraria aos colegas os seus desenhos ou fariam uma leitura do texto expondo num mural seus trabalhos.

O objetivo é que todas as crianças aprendar e se conscientizem que ricos e pobres, inteligentes ou com dificuldades de aprendizagem merecem todo o nosso respeito, carinho e atenção.

Até mais...



Escrito por Deise Dipardo às 01h58
[] [envie esta mensagem
]


 

 

MENSAGEM REFERENTE AO DIA 02 DE ABRIL

Como já havia falado no outro texto escrito a respeito de conflitos dentro de sala de aula, podemos falar de crianças carentes que tem seus conflitos internos, onde muitas vezes tem que escolher entre ir à escola ou trabalhar - algumas vezes forçadas pelos pais, outras vezes porque veêm as dificuldades dos pais e querem ajudá-los.

Mas aí é que está a questão!Será que os políticos, os governantes acham que somente aquela bolsa auxílio, implantanda recentemente,consegue atingir o grande número de crianças que estão nas ruas, ônibus, onde a maioria das vezes são obrigados a ficarem o dia todo debaixo do sol e da chuva; será que eles têm a consciência de que essas crianças não vão à escola? Se bem que, até os pais se escontam... sem informação nenhuma, sem perspectiva de vida, acham que, fazendo com que eles trabalhem as pessoas ficariam com dó e acabariam contribuindo para que isso sempre continue?

Ainda existem também, crianças que trabalham e vão para a escola, mas exatamente por causa do trabalho ficam exaustas, cansadas, não conseguem prestar atenção nas aulas e acabam se sentindo inferiores, incapazes de aprender, alimentando assim sua baixa-estima e acabam desistindo dos estudos, perderndo assim, grandes oportunidades... Não só a oportunidade de aprender a ler e a escrever mas de terem vivênciaaas dentro do ambiente escolar; das trocas de experiência com os amigos sob a supervisão das professoras sempre observando e interrompendo as conversas para ensinar como; quando e por quê.

Lógico que vão aparecer diferenças entre essas crianças e as que somente estudam. O que quero dizer é que o professor tem que ter um cuidado, um olhar especial para essas crianças e entender as suas necessidades, buscando formas de intervenção quando ocorrerem determinados conflitos e preconceitos.

Um beijo e até mais... 



Escrito por Deise Dipardo às 01h24
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Xiiiii.... Esses conflitos...

Bom, hoje estarie falando um pouco dos conflitos que existem entre as crianças dentro e fora da sala de aula. Esses conflitos fazem parte das relações humanas e portanto, do nosso cotidianao.

Muitas vezes as crianças brigam umas com as outras, empurram, discutem, se agridem fisicamente, mas como havia dito, isso faz parte do processo de socialização e deve ser visto como algo normal.

Agir dessa maneira é uma forma de se expressarem; de porem para fora fora aquilo que nõa está bem, e é nesse momento em que o professor pode interferir de forma significativa, produzindo a partir dessa situação, uma aprendizagem, tanto de sua parte, quanto da do aluno; Sabendo como agir, abservando quais pontos desse conflito o professor pode trabalhar em sala de aula, ele poderá tirar dessas situações, um apresndizado para o restante de seua vida.

É importante levar em consideração que, quando os alunos brigam, provocando assim, situações de tensão, devemos agir de forma a não constranger nenhum dos envolvidos; não expô-los ao restante de seus colegas mas sim, conversar com ambos, separadamente para depois tentar solucionar o problema.

A psicopedagoga Luciene Tognetta dá algumas dicas de como agir em momentos como esse e, nesse momento, compartilho-as com vocês:

- Separe os envolvidos do restante do grupo;

- Não tome partido;

- Espere as crianças se acalmarem e converse com elas individualmente;

- Incentive cada uma a expôr seus sentimentos;

- Estimule o aluno a pensar no que o outropode ter sentido;

- Pergunte o que ele poderia ter feito para ter evitado o conflito;

- Coloque os dois frente a frente e refaça as perguntas;

- Peça-lhes que sufiram uma solução afim de evitar que o problema se repita;

- Se os dois consentirem, use o episódio como exemplo para o restante do grupo, afim de que eles aprendam com essa experiência;

Por hoje é só,

Até mais, Dê



Escrito por Deise Dipardo às 22h17
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Atividade de Interação

Uma das formas para que haja uma interação entre os alunos é usar várias atividades em sala de aula para que esses se conhecerem melhor.

Sendo assim, aí vai a primeira atividade interativa. Espero que dessa dinâmica possam surgir novas idéias e assim auxiliá-los em suas atividades pedagógicas... 

Obs: Essa atividade é para um primeiro contato entre os alunos, supondo que esses ainda não se conheçam.

Atividade 1

1a. Etapa: Faça placas coloridas com o nome de todos os alunos.

2a. Etapa: Esconda as placas em vários lugares da sala de aula, mas isso deve ser feito antes dos alunos chegarem à mesma.

3a. Etapa: Quando todos os alunos chegarem, o professor deve se apresentar e dizer o que espera do grupo.

4a. Etapa: Terminada as apresentações o professor deve explicar que na sala há placas escondidas com o nome de todos os alunos e que eles deverão procurar cada um uma placa.

5a. Tarefa: Quando todos estiverem com suas placas em mãos deverá ser feita uma roda e cada criança deverá dizer o nome que encontrou e o aluno correspondente ao nome da placa deverá se levantar, buscar sua placa com o respectivo aluno, se apresentar (idade, onde mora, o que gosta de fazer, etc) e ambos devem sentar um ao lado do outro e assim sucessivamente.

A finalidade dessa dinâmica é de observar como os alunos se comportam diante de um grupo quando o aluno é desafiado e observar a interação ou não-interação com o outro.

Através dessas observações podemos perceber quem é o nosso aluno e refletir sobre possíveis conflitos que podem surgir com o passar do tempo e tratar as diferenças.

Na próxima semana estarei falando sobre os conflitos que existem entre os alunos, independente de qualquer coisa, sempre haverão idéias, pensamentos e modos de agir de maneiras diferentes, podendo ocasionar, assim, conflitos.

Até mais,



Escrito por Deise Dipardo às 23h57
[] [envie esta mensagem
]


 

 

Apresentação

O tema que estarei apresentando tratará de questões gerais relacionadas à Educação. Temas como conflito, integração social, métodos de aprendizagem, entre outros, estarão sendo abordados de forma ampla com a finalidade de elucidar alguns pontos.

Uma boa maneira de começar esse blog é tratar da integração social da criança, que começa quando essa chega à escola. É a partir daí que o professor pode utilizar várias atividades como: dinâmicas, atividades em grupo, rodas de conversa, etc. para integração entre os alunos.

No decorrer deste teabalho apresentarei algumas metodologias que auxiliarão o trabaho dentro de sala de aula de pedagogos, como eu, neste assunto e em muitos outros

Bem, por hoje foi só uma breve apresentação e até mais!



Escrito por Deise Dipardo às 01h19
[] [envie esta mensagem
]


 

 
[ ver mensagens anteriores ]